Vector-Smart-Object1.png

CROWDSOURCING CRIATIVO

O objetivo do Nivea Co-Lab foi atrair mentes criativas que mostraram como usar a tecnologia para incentivar a conexão, o toque e a relação entre as pessoas, ao invés de desconectá-las.


Mas a tecnologia não é a vilã desta história. 

Não se trata de nos separar; queremos encontrar uma maneira de nos unir. Estamos à procura de ideias poderosas, que usem tecnologia, que conectem pessoas e fortaleçam relacionamentos.

O Brasil, a Coreia do Sul e a Inglaterra foram os países selecionados, cada país teve 2 finalistas, e eu tive a oportunidade de ser um dos finalistas brasileiros.

O problema que levantei foi: Pessoas querem ajudar causas sociais, mas não sabem por onde começar por falta de informações de como achar instituições sérias, e de como poder ajudar apesar da correria do dia a dia e da falta de tempo. Além disso ajudar as instituições cadastradas a divulgarem as causas conseguindo ajuda financeira e/ou voluntária. E a partir disso que desenvolvi a ideia de criar um aplicativo que conecta as pessoas através de causas sociais, vou contar nas próximas linhas.

DESCOBRINDO UM

PROBLEMA

É a  primeira  das 4 etapas do processo do duplo diamante, e antes de fazer é preciso entender!

777e722fbe77a4e62bf686d9a0c100ca.png

E antes de fazer qualquer coisa, entender o que vai ser feito é tão importante quanto fazer, pensando nisso comecei pela primeira etapa do duplo diamante que é a descoberta, aonde é o momento de observar, pesquisar e analisar.

PESQUISA

A pesquisa Outras Formas de Trabalho 2017, divulgada pelo IBGE em 2017, mostra que 7,4 milhões de pessoas realizaram trabalho voluntário, o equivalente a 4,4% da população de 14 anos ou mais de idade.

 

O aumento foi de 12,9% em comparação a 2016. O perfil dos voluntários no país é prioritariamente de mulheres que têm uma série de atividades extras, além de trabalho e afazeres domésticos. Os que desenvolviam atividades voluntárias em 2017 eram 5,1% das mulheres e 3,5% dos homens, fato observado em todas as grandes regiões.

A dedicação ao trabalho voluntário é maior entre os que têm uma ocupação (4,7% do total) do que entre os não ocupados (3,9%). Em relação à idade, a participação nessas atividades é maior entre as pessoas mais velhas: em 2017, 2,9% dos que têm 14 a 24 anos faziam trabalho voluntário; a proporção sobe para 4,6% entre os de 25 a 49 anos; e para 5,1% entre os que têm 50 anos ou mais.

bjt.png

Nas regiões Norte e Nordeste, no entanto, a maior taxa foi a do grupo de pessoas de 25 a 49 anos de idade (6,9% e 3,6%, respectivamente). Se considerado o grau de escolarização, a participação é maior entre os que têm nível superior completo (8,1%) do que os que não têm instrução ou têm o fundamental incompleto (2,9%).

 

Para a analista de Trabalho e Rendimento do IBGE, Alessandra Brito, este aumento "pode ser por causa do maior acesso à informação da população graduada, que sabe onde realizar esse tipo de trabalho, uma vez que as pessoas com nível superior completo costumam estar melhor inseridas no mercado, com mais tempo livre, e podem por isso mesmo ter uma maior conscientização frente aos menos escolarizados".

Fonte https://agenciabrasil.ebc.com.br/node/1116832

O TRABALHO

VOLUNTÁRIO

Cerca de 13% dos voluntários cumpriram atividades em associação de moradores, associação esportiva, ONG, grupo de apoio ou outra organização.

 

A minoria, 9,8%, realizava o trabalho de forma individual, porém essa parcela vem aumentando ano a ano. Em 2016, eram 8,4% e em 2017 subiu para 9%.

 

“O trabalho de forma individual é aquele feito diretamente a outra pessoa, como um vizinho que acompanha um idoso a uma consulta médica ou uma pessoa que distribui alimentos a necessitados do bairro.

Lembrando que o voluntário pode realizar trabalhos em mais de um local.

Fonte:https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/24268-pais-tem-7-2-milhoes-de-pessoas-que-fazem-trabalho-voluntario

Pesquisa-IBGE

PERSONA

O próximo passo foi usar os dados da pesquisa para criar uma persona,  para entender melhor o grupo de pessoas que quero projetar, entendendo os seus hábitos, procurando saber as suas dores e necessidades. 

PERSONA.jpg

MARINA PAIVA

Redatora

“Trabalho muito e me sobra pouco tempo para fazer outras atividades, ainda mais atividades ligadas a causas sociais que gosto muito!”

DADOS

-32 anos -São Paulo/SP

-Ajuda em causas sociais quando sobra tempo

-Heavy user de redes sociais

-Superior Completo

DORES E NECESSIDADES

-Ajudar causas sociais

-Conhecer ações sociais em locais próximos

-Conhecer pessoas com os mesmos objetivos

DADOS

-Acesso e compartilhamento sobre causas sociais

-Mapeamento de locais para ajuda próximos

-Filtro para encontrar causas socias

JORNADA DO

USÚARIO

Com a persona definida e compreendida,  a próxima etapa foi fazer um mapa da jornada do usuário, para visualizar melhor o que os usuários podem experienciar durante o contato com o aplicativo. Lembrando apenas que, essa é uma de muitas jornadas possíveis.

MAPA.png

ESTRUTURANDO O

APLICATIVO

O APP

A idéia é desenvolver um aplicativo que possibilita potencializar a realização de ações voluntárias e causas sociais importantes para você. Ajudando na construção e integração de uma sociedade mais humana e integrada. O aplicativo irá funcionar como uma rede social, aonde as pessoas acessem e conheçam causas sociais, serviços voluntariados, instituiçoes e possam aderir a causas que sempre se identificaram.

 

Mas as vezes não sabe por onde começar. A iniciativa precisa que nao seja apenas um aplicativo, mas sim que as pessoas abracem essa causa, queiram fazer parte, para quem olhar pensar:  “EU QUERO FAZER PARTE DISSO” A idéia é desenvolver uma pulseira, que sirva como um simbolo de todas as causas.

 

E mostrar para as pessoas com orgulho, mostrando uma união para fazer um mundo melhor e quem vé querer fazer parte dessa união.

A pulseira sempre notificara do que acontece no app notificando o usuário conforme a configuração pessoal, fazendo com que o usuário sempre esteja informado das ações sociais das instituiçoes e de tudo que acontece no mundo das causas sociais.

E a ideia é fazer gamificação conforme o usuário participa e divulga as ações sociais, como descontos em produtos Nivea, vouchers de descontos em apps de transporte entre outras ideias que venham a ajudar o usuárioe  as causas.

FEATURES INICIAIS

O questionamento que fiz inicialmente para estruturar a primeira fase do app foi o que deve ter no produto para atender as necessidades dos usuários, e quais as funcionalidades deveria construir para atingir os objetivos.

PUL.jpg
FEATURES.png

NOME

AYOMIDE: Minha Alegria Chegou (Yoruba Da Nigéria) A escolha do nome foi baseada na cultura dos povos africanos que se apóiam integralmente no poder da oralidade, pois a oralidade é a prática de uso da língua natural por meio da produção sonora, em diversos gêneros de texto orais, nos mais diferentes contextos e níveis de formalidade.

 

Nela, estaria inclusa a fala (forma de produção textual por meio de sons articulados e de significados), acompanhada de outros aspectos como a prosódia, os gestos, a expressão facial, os movimentos corporais, entre outros.

LOGO: usei uma tendência tipográfica que remete a algo feito manualmente, para dar a idéia de de algo mais humano.

AYOMIDE.png

Tipografia

A fonte escolhida foi a Montserrat. Optei por usar uma fonte moderna que conversasse com o público, e fosse de fácil leitura, tendo apenas 2 variações LIGHT e BOLD, apelando para um design mais limpo e objetivo,

 

TIPE.png

Cores

Segui comum tom de cor entre o azul e roxo, para quebrar um pouco a identidade da Nivea, e para manter um contraste que não fugisse muito das cores da Nivea. E criei uma paleta de cores de suporte pensando nos contrastes de informações.

 

cor.png

USERFLOW

FLOW.png

PROTÓTIPO

Os componentes da interface como campos, botões e seus estados, ícones, paleta de cores, tipografias e etc. foram pensados de forma a serem escaláveis e reaproveitados, facilitando a implementação e gerenciamento a longo prazo.

PROTO.png

PRÓXIMOS PASSOS

Esse é apenas o estudo de uma primeira fase, aonde é preciso mais estágios e pesquisas mais aprofundadas para esse produto de fato existir, além do tempo hábil para entrega do projeto que entre seleção, alinhamento, correções, viagem e apresentação na Alemanha, foi um período de 14 dias corridos (aonde eu dispunha de tempo apenas nas horas vagas do trabalho), a concepção da idéia, pesquisa, projeções, prototipagem e apresentação foi feita apenas por mim, sei que tem alguns gaps que podem ser corrigidos em um segundo momento.

 

Cito aqui alguns dos próximos passos:

- Pesquisa mais ampla com feedbacks e dados em cima do protótipo;

- Informações sobre a tecnologia, custos e viabilidade para investidores;

- Testes de usabilidade;

- Acompanhar os resultados, dados e métricas para validar a existência do produto;

- Entrevista com usúarios desde voluntários a ONGS;

- Estudos das features.